Group 212.png

Blog DSD

Sair do vermelho em 2022 está nos seus planos?

Atualizado: 28 de jan.

Para sair do vermelho, é preciso resiliência, disposição para trabalhar e coragem para encarar o novo.


O ano de 2022 começou e, apesar da tradicional esperança de melhorias, que o ano novo suscita, ainda tem muitos empreendedores patinando em antigos problemas. Assim, para esses, a motivação se encontra nas expectativas de que “novos acontecimentos” mudem esse cenário e contribuam para o negócio sair do vermelho.


Mas será que é assim mesmo que funciona? Pense um pouco: há quantos “anos novos” você vem esperando um “grande acontecimento” para melhorar a situação da empresa? O que VOCÊ tem feito para mudar essa história?


Requisitos básicos para sair do vermelho


Você, provavelmente, já ouviu dizer que para ter resultados diferentes é preciso agir de forma diferente… Mas o quanto isso é real em sua gestão? O que, de fato, foi feito pela sua empresa no ano que passou e quais resultados você conseguiu medir? Como esses resultados foram trabalhados para gerar mais mudanças?


É fácil lamentar pelos problemas, responsabilizar a outros, esperar por “milagres”… E colocar a mão na massa? Fazer a sua parte? Buscar novas estratégias?… É claro que, como seres humanos, nos abatemos com certos problemas e, muitas vezes somos, sim, afetados por ações de terceiros ou acontecimentos que fogem ao nosso controle! Porém, isso não invalida a força de cada um sobre seu próprio negócio, muito menos a possibilidade de buscar e encontrar novas soluções.


Por isso, gostaria que você refletisse sobre o que realmente deseja para o seu negócio e para a sua vida em 2022. Até porque, fazer a empresa sair do vermelho exige resiliência, disposição para trabalhar e coragem para encarar o novo! Pois o restante vem como consequência. Você está disposto? Se sim, recomendo começar com os três passos abaixo.


Passo 1: faça um quadro de dívidas


Saber quem são os seus credores e quanto você deve para eles é fundamental para enxergar o tamanho do buraco que você precisa fechar. Além disso, essa informação permitirá a identificação dos tipos de dívidas, para saber quais são as prioridades de pagamento, medindo as consequências de cada decisão. Isso vai evitar novos problemas e interromper círculos viciosos que geram “bolas de neve”.


Passo 2: negocie as dívidas


Enquanto as dívidas não podem ser quitadas, é importante você se organizar para diminuir os gastos com juros. Sendo assim, aproveite as informações colhidas no passo anterior e contate seus credores para negociar as dívidas. Geralmente, esse tipo de negociação viabiliza o parcelamento da dívida, interrompendo o ciclo de cobrança dos juros pelo acúmulo de valores atrasados. Essa medida diminuirá suas despesas administrativas e, por consequência, aumentará o seu capital de giro.


Passo 3: conheça os números do negócio


Identifique o seu custo, faça um levantamento de todas as despesas (fixas e variáveis) e calcule a sua margem de contribuição. Essas informações serão úteis para você reavaliar os seus preços. Também é importante identificar as situações do dia a dia que levam a empresa a perder dinheiro sem você perceber. Para isso, convém adotar um processo de gestão diária do fluxo de caixa com o registro dos detalhes da movimentação em cada tipo de conta, bem como as previsões a curto e médio prazos.


Como sair do vermelho para sempre


Colocando isso em prática, aos poucos você criará condições de sair do vermelho, estabilizar as finanças da empresa e construir cenários melhores para o futuro. Lembrando que esses três passos são apenas o princípio de um trabalho minucioso de gestão financeira que precisa ser contínuo. Portanto, dê o primeiro passo e persista, mantendo a resiliência, a disposição para trabalhar e a coragem para enfrentar o novo. Afinal, esses são requisitos básicos para a construção de uma jornada empreendedora de sucesso!


Feliz e próspero 2022!